28 de Dezembro – Reconhecendo a Terra do Senhor

Share

Foi Bonaventura quem ofereceu o pensamento: “Para que possamos exaltar e glorificar a Deus, e para que possamos avançar no conhecimento de Deus, devemos transferir para o divino o que pertence à criatura. Quase todas as criaturas possuem certas características nobres que fornecem uma base para a nossa compreensão de Deus. Por exemplo, o leão possui força; o cordeiro, mansidão; a rocha, solidez; a serpente, prudência. Assim é necessário que muitos nomes sejam transferidos para Deus”.

Calvino concordou com essas impressões. “Não há um átomo do universo em que você não possa ver pelo menos algumas faíscas brilhantes da glória de Deus”.

A Terra, a natureza que nos rodeia, o mundo, tudo está cheio de Deus. A natureza é um teatro glorioso, um show espetacular de som e luz da beleza de Deus. Mas a natureza não é Deus. Adorar toda ou parte da natureza é idolatria. Confundir Deus com a natureza é ruir no panteísmo, um monismo intolerável que obscurece a distinção entre criatura e Criador.

Contudo, o universo é o trabalho de Deus. Ele brilha com a revelação do seu Criador. Não é uma entidade independente existente ao lado e além de Deus. Não há dualismo que separe Deus do mundo. A terra é do Senhor.

Na presença de Deus

Passe algum tempo hoje desfrutando a beleza da natureza, lembrando que a terra é do Senhor.

Passagens para estudo adicional

Salmos 24:1; Salmos 50:2; Salmos 53:1

Leonardo Dâmaso
Leonardo Dâmaso
Mineiro, de Divinópolis. Criador e editor-chefe do Reformados 21. Servo de Cristo, músico, compositor, teólogo, escritor, apologista, tradutor e blogueiro. Faço parte da JET - Junta de Educação Teológica do IRSE - Instituto Reformado Santo Evangelho.