31 de Outubro – Examinando as Regras de Oração de Calvino (Parte 1)

Share

Para Calvino, a oração é como um tesouro inestimável que Deus ofereceu ao Seu povo.

A primeira regra de oração de Calvino é entrar nela com uma consciência plena de “com quem” estamos falando. A chave para a oração é um espírito de reverência e adoração: “Deixe a primeira regra da oração sincera moldar seu coração e mente como aqueles que falam com Deus”.

Calvino escreveu sobre o quão difícil é para nossas mentes focar na oração. Tornamo-nos desatentos, como se estivéssemos falando com alguém com quem estamos facilmente entediados. Isso insulta a glória de Deus: “Saibam, então, que ninguém se prepara devidamente para a oração, mas tão somente aqueles que se impressionam com a majestade de Deus, que se envolvem nela livres de todos os cuidados e afetos terrenos”.

A segunda regra de oração de Calvino é que pedimos apenas coisas que Deus permite. A oração pode ser um exercício de blasfêmia se rogamos a Sua benção para nossos desejos pecaminosos: “Ultimamente, tenho observado que os homens em oração concedem maior licença aos seus desejos ilícitos do que se estivessem contando histórias jocosas entre os seus colegas”.

Na presença de Deus

Como sua vida de oração pessoal se alinha com essas duas regras? O seu coração e mente são moldados como aqueles que falam com Deus? Você pede a Deus apenas as coisas que Ele permite?

Passagens para estudo adicional

Salmo 109: 4; 1 Coríntios 7: 5; Efésios 6:18

Leonardo Dâmaso
Leonardo Dâmaso
Mineiro, de Divinópolis. Criador e editor-chefe do Reformados 21. Servo de Cristo, músico, compositor, teólogo, escritor, apologista, tradutor e blogueiro. Faço parte da JET - Junta de Educação Teológica do IRSE - Instituto Reformado Santo Evangelho.