O que podemos dizer sobre os milagres modernos?

Share

Afirmo que Deus sempre atua no nível sobre-humano. Ele intervém sobrenaturalmente na natureza e nos assuntos humanos ainda hoje. Acredito que Deus possa curar pessoas sem os métodos naturais ou a medicina. Creio que para Deus todas as coisas são possíveis (Mt 19.26). Seu poder não diminuiu desde os dias da igreja primitiva. Com certeza, a salvação sempre é um ato divino sobrenatural!

Todavia, não creio que Deus usa homens e mulheres como agentes na realização de milagres, assim como Ele usou Moisés, Elias ou Jesus. Estou convencido de que os milagres, sinais e maravilhas anunciados hoje no movimento carismático não tem qualquer relação com os milagres apostólicos. Estou persuadido, pela Escritura e pela História, de que nada semelhante ao dom de milagres do Novo Testamento (quanto a uma discussão sobre o dom de milagres, ver Capítulo 9) é realizado hoje. O Espírito Santo não tem dado a qualquer cristão de nossos dias dons miraculosos comparáveis aos que foram outorgado apóstolos.

No entanto, os carismáticos fazem algumas afirmações extraordinárias. Alguns creem que Deus tem ressuscitado mortos. Por exemplo, Oral Roberts, falando na Charismatic Bible Ministry Conference (Conferência de Ministério Bíblico e Carismático), em 1987, disse: “Não posso contar-lhes sobre [todos] os mortos que ressuscitei. Tive de parar um sermão, voltar-me e ressuscitar um morto”.8 Ninguém menos que C. Peter Wagner, professor de crescimento da igreja na Fuller Seminary School of World Mission acredita que isso pode ocorrer: “Também creio, agora, que pessoas têm sido literalmente ressuscitadas em todo o mundo. Ao afirmar isso, algumas pessoas me perguntam se creio que essa prática é ‘normativa’. Duvido que seja normativa em qualquer circunstância local. No entanto, talvez ela seja normativa em termos do corpo universal de Cristo. Embora seja um acontecimento extremamente incomum, não me surpreenderia se ocorresse várias vezes por ano”.9 John Wimber alista a ressurreição dos mortos como um dos elementos básicos do ministério de cura.10

Com certeza, é significativo o fato de que nenhuma alegação de ressurreição pode ser comprovada. Que podemos dizer sobre a afirmação de Oral Roberts? Desafiado a informar nomes e endereços de pessoas ressuscitadas por ele, Roberts esquivou-se.11 Posteriormente, ele se lembrou apenas de um incidente (ocorrido mais de vinte anos antes) quando supostamente ressuscitou uma criança diante de dez mil testemunhas:

Em um culto de cura, ele se lembrou, uma mãe que estava na plateia pulou e gritou: “Meu bebê está morto”. Robert disse que orou pela criança, que “se contorceu, se contorceu em meus braços”. … Roberts, por fim, reconheceu que nem a criança, nem outras pessoas que ele afirmou ter trazido à vida haviam sido declaradas clinicamente mortas. “Eu entendo”, ele tergiversou, “a existência de diferenças entre a pessoa morta, que não respira, e [a pessoa] clinicamente morta”.12

Que devemos fazer com isso? Isso se distancia muito da ressurreição de Lázaro — que esteve morto durante quatro dias —, realizada por Jesus. Se, como supõe o Dr. Wagner, “pessoas têm sido literalmente ressuscitadas em todo o mundo… várias vezes por ano”, não seria racional esperar que pelo menos um desses milagres pudesse ser comprovado?

A verdade é: quem afirma realizar esses milagres hoje não é capaz de comprovar suas afirmações. Diferentemente dos milagres do Novo Testamento, realizados com milhares de pessoas incrédulas na plateia, os milagres modernos ocorrem em particular ou em encontros pré-arranjados. Os tipos de milagres alegados também não se assemelham, nem um pouco, aos do Novo Testamento. Jesus e os apóstolos curaram pessoas instantânea e completamente de cegueira congênita, paralisia, mão ressequida; e todos esses milagres são incontestáveis. Nem mesmo os inimigos de Jesus questionavam a realidade desses milagres. Além disso, os milagres do Novo Testamento eram imediatos, completos e permanentes. Nosso Senhor e seus discípulos jamais fizeram um milagre de modo incompleto ou parcial.13

Ao contrário disso, a maioria dos milagres contemporâneos quase sempre é parcial, gradual ou temporária. Os únicos milagres “instantâneos” são curas que parecem envolver formas de males psicossomáticos. Pessoas que têm deficiências perceptíveis raramente são auxiliadas pelos curandeiros modernos. Há pouco tempo, assisti a um tele evangelista que entrevistava um homem supostamente “curado” de paralisia. O homem afirmou estar liberto da cadeira de rodas pela primeira vez em vários anos. Entretanto, naquele momento, ele usava muletas e um aparelho corretivo nas pernas! Nenhum realizador de curas reivindica o tipo de sucesso incontestável visto nos ministérios de  Cristo e dos apóstolos.

 

 

NOTAS:

  1. Woodward, Kenneth L.; Gibney Jr., Frank. Saving souls — or a ministry? Time, v. 130, n. 2, p. 52, July 13, 1987.
  2. Wagner, C. Peter. The third wave of the Holy Spirit. Ann Harbor: Vine, 1988. p. 112.
  3. Wimber, John. Power healing. San Francisco: Harper & Row, 1987. p. 38, 62.
  4. Geisler, Norman, Signs and wonders. Wheaton, Ill.: Tyndale, 1988. p. 119.
  5. Woodward, Kenneth L.; Gibney, Jr., Frank. Saving souls — or a ministry? Time, v. 130, n. 2, p. 52, July 13, 1987.
  6. Quanto a uma discussão completa sobre esta questão, incluindo um exame das passagens bíblicas normalmente usadas para refutar essa alegação, ver Geisler, Norman. Signs and wonders. Wheaton, Ill.: Tyndale, 1988. p. 149-155. Apêndice 2 — Are Miracles Always Successful, Immediate and Permanent?

 

 

Autor: John MacArthur

Trecho extraído do livro Caos Carismático, pág 141-144. Editora: Fiel

Leonardo Dâmaso
Leonardo Dâmaso
Mineiro, de Divinópolis. Criador e editor-chefe do Reformados 21. Servo de Cristo, músico, compositor, teólogo, escritor, apologista, tradutor e blogueiro. Faço parte da JET - Junta de Educação Teológica do IRSE - Instituto Reformado Santo Evangelho.