Como cristãos devem comentar nas redes sociais?

Share

Ler os comentários das pessoas nas redes sociais é um estudo interessante da natureza humana, e por vezes, perturbador. E ler comentários de cristãos professos em sites cristãos (ou mesmo em outros sites) pode ser um estudo desanimador de teologia aplicada.

A natureza imediata de contra-ataque impensado dos comentários em sites e redes sociais é o que muitas vezes os torna minimamente úteis ou até mesmo destrutivos. Comentários podem ser facilmente imprudentes. É por isso que devemos observar a advertência de Jesus, “que de toda palavra fútil que os homens disserem, hão de dar conta no dia do juízo” (Mateus 12:36). Esta advertência faz com que comentários sejam sérios aos olhos de Deus.

Como Devemos Comentar?

Esporadicamente. “Na multidão de palavras não falta transgressão; mas o que refreia os seus lábios é prudente” (Provérbios 10:19).

A Bíblia nos aconselha a refrear os nossos lábios (o que no século 21 inclui também os dedos), porque o tolo comporta uma multidão de palavras (Eclesiastes 5:3). Seremos sábios se acatarmos este conselho. Também é útil lembrar que nossa natureza pecaminosa nos dá todo um sentimento exagerado de auto-importância. Mas a humildade do evangelho nos leva a considerar os outros superiores a nós mesmos (Filipenses 2:3). Afinal, talvez nossas opiniões não sejam necessárias.

Morosamente. “Todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar e tardio para se irar” (Tiago 1:19).

Se um artigo ou um post nos deixa irritados, deveríamos evitar escrever no calor da raiva. Nesse estado de espírito é muito difícil sermos “moderados, demostrando toda a mansidão para com todos os homens” (Tito 3:2). É melhor esperar e orar. Provavelmente, uma hora ou um dia serão suficientes para escrever um comentário mais delicado, se realmente houver necessidade de fazê-lo.

Graciosamente. “A vossa palavra seja sempre com graça, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um” (Colossenses 4:6).

Tudo o que é dito fora da Bíblia por seres humanos caídos é limitado, deficiente e defeituoso, especialmente atualizações escritas apressadamente nas redes sociais. E todos nós lemos as coisas através dos filtros de nossa experiência e perspectiva. Todos nós interpretamos e dizemos as coisas de forma errada. Portanto, podemos ser amáveis e pacientes, buscando presumir o melhor das pessoas.

Quando Devemos Comentar?

Para o cristão, o propósito de falar qualquer coisa, a qualquer um e a qualquer hora, seja com os lábios ou com as mãos, é “a fim de que ministre graça aos que a ouvem” (Efésios 4:29). Então, se julgarmos que devemos comentar no post de alguém, nossa motivação deve ser de conceder-lhe graça. Deixo algumas sugestões sobre como conceder graça, ao decidirmos que vale a pena fazer um comentário:

Agradeça. Agradecer pode ser a melhor e mais frequente razão pela qual devemos comentar. Se um escritor reforça nosso entendimento, encoraja as nossas almas, nos exorta ou nos adverte prestativamente, expressar nossa gratidão é oportuno e estimula o escritor. O texto não precisa ser perfeito. Se formos ajudados, podemos agradecer; se não, não precisamos dizer nada.

Incentive. Nós, seres humanos, geralmente achamos mais fácil criticar uns aos outros do que encorajar uns aos outros. Muitas vezes, esta resposta vem do orgulho pecaminoso infectando nossas habilidades de pensamento crítico. Há, tranquilamente, uma centena de críticos para cada pessoa encorajadora. Por sermos pessoas do evangelho, que procuram conceder graça a outros, cristãos devem usar seus comentários para incentivar e edificar o escritor e outros leitores (1 Tessalonicenses 5:11). Identifique e procure a graça em um artigo ou post.

Esclareça. Se um post é confuso ou soa errôneo para nós, conceder graça é, antes de tudo, fazer perguntas esclarecedoras, em vez de imediatamente tirar conclusões precipitadas. Uma pergunta perspicaz e gentil poderá revelar o erro do escritor ou o equívoco do leitor.

Corrija (Delicadamente). Corrigir deveria ser bastante raro. Em geral, eu acho que muito tempo é desperdiçado em elaborar críticas em comentários e, em seguida, defender essas críticas de quem pensa o contrário. Mas, ocasionalmente, um erro evidente de fato ou de doutrina pode ser suficientemente importante para justificar uma correção. Em tais casos, devemos lembrar da instrução de Paulo:

Ao servo do Senhor não convém contender, mas, sim, ser brando para com todos, apto para ensinar, paciente; corrigindo com mansidão os que resistem, na esperança de que Deus lhes conceda o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade (2 Timóteo 2:24-25).

Verdadeira humildade de coração e entonação são essenciais. Espere e ore até que você possa comentar de maneira que corresponda a exortação de Paulo. E não seja tragado para “conversas vãs e profanas” sem fim, com outros que comentam (2 Timóteo 2:16). Faça o comentário com fé e não se ofenda se não receber uma resposta. Se você conhece o autor pessoalmente, evite corrigi-lo com um comentário público. Escreva ou ligue para ele em particular.

Não Provoque Incêndios

Para concluir, lembremo-nos desta sábia palavra do apóstolo Tiago:

A língua também é um fogo; sim, a língua, qual mundo de iniquidade, colocada entre os nossos membros, contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, sendo por sua vez inflamada pelo inferno (Tiago 3:6).

Tiago escreveu essa advertência aos cristãos. Cristãos provocam incêndios em caixas de comentário. Não provoquemos incêndios usando palavras descuidadas, porque seremos responsabilizados por elas. Em vez disso, refreemos nossos lábios e nossos dedos, e quando falarmos, que seja apenas para conceder graça aos que ouvem.

 

 

Autor: Jon Bloom

Fonte: desiringGod

Tradução: Alessa Mesquita do Couto

Divulgação: Reformados 21

 

 

Reformados 21. Todos os direitos reservados. Você está autorizado a compartilhar os artigos deste site para republicações, desde que informe o autor, tradutor (quando houver) e as fontes principais e intermediárias, inclusive o Reformados 21. Não é permitido a alteração do conteúdo original e a utilização para fins comerciais.

 

 

 

Leonardo Dâmaso
Leonardo Dâmaso

Mineiro, de Divinópolis. Criador e editor-chefe do Reformados 21. Servo de Cristo, músico, compositor, teólogo, escritor, apologista, tradutor e blogueiro. Faço parte da JET – Junta de Educação Teológica do IRSE – Instituto Reformado Santo Evangelho.