Mulheres também consomem pornografia

Share

Não há lugar mais assustador do que assentar-se sozinho nas sombras com o seu pecado. A decadência permeável da destruição do pecado é um verdadeiro pesadelo.

Contudo, e se os pastores e amigos da igreja ajudassem involuntariamente você a permanecer nas sombras? Podemos conversar facilmente sobre depravação total, mas no momento em que um pastor se dirige apenas a homens numa manhã de domingo para enfrentar o “seu” problema de pornografia, ele deixou involuntariamente as mulheres na escuridão com o seu pecado.

Eu aconselhei mulheres com graus variados de danos causados pelo pecado sexual e até vítimas do tráfico sexual. Não importa o quanto eu vejo, eu nunca fico desatualizada pela precisão sagaz com que o pecado sexual feriu as mulheres. E agora, devido à normalização cultural da pornografia e a viabilidade de telefones Wi-Fi e inteligentes, as estatísticas dos usuários pornográficos não apenas aumentaram: não deixaram nenhuma faixa etária, grupo demográfico ou gênero incólume.

Dito isso, devemos sustar de assumir que a pornografia é um problema de homens, porque não é. É um problema humano.

Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar (1 Coríntios 10:13).

No contexto, Paulo está abordando duas tentações específicas: imoralidade sexual (1 Coríntios 10:8) e murmuração (1 Coríntios 10:10). Paulo salienta esses pecados “comuns” porque são tentações comuns a todos. Assumir o pecado sexual é apenas um problema masculino e é negar a ajuda que Deus promete oferecer a todos os cristãos.

Proibição assassina

Muitas vezes, sentimo-nos desconfortáveis falando sobre o uso feminino da pornografia. É um assunto delicado para pastores abordarem com mulheres, visto que a sexualidade, por natureza, é íntima. Uma vez que confessar o pecado sexual a um pastor ou a um homem mais velho é difícil, muitos podem estar menos conscientes do problema.

Entretanto, quando tratamos a pornografia como uma questão só de homens, retemos a graça e a ajuda para as mulheres em seu tempo de necessidade (Hebreus 4:16). Nosso grande sumo sacerdote não se compadece de algumas das nossas fraquezas, mas de todas elas. E por causa do poder do Espírito que trabalha em nós, podemos enfrentar com intrepidez qualquer tipo de pecado.

Todavia, quando fazemos um “tabu” do pecado pessoal – do púlpito ou de qualquer outro lugar da igreja –, isso gera bolsas de escuridão, onde o pecado pode apodrecer e florescer. Protegido pelo silêncio e alimentado pela vergonha, o pecado não tratado tem um reinado irrestrito para destruir vidas.

Humildade libertada

Por outro lado, nenhum cristão, independentemente do sexo, pode permanecer calado acerca do pecado e livre da vergonha. Provérbios 28:13 diz: “O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia.”

Quanto mais escondemos o nosso pecado, mais os nossos corações ficam endurecidos. E o pecado sempre é prejudicial, mesmo quando é privado. Isso inclui a masturbação, a pornografia, o sexo e pensamentos sensuais. Tão explícito quanto é escrever essas palavras, deve estar claro que a verdadeira libertação e a restauração espiritual estão disponíveis para as mulheres que lutam dessa maneira.

Crentes que não confessam seus pecados sofrem demasiadamente (Sl 32:3). Quando nos isolamos, valorizamos o orgulho que nossa vergonha protege em detrimento da santidade que a nossa humildade permite (Provérbios 18:1).

Mas Deus “se opõe aos orgulhosos” e “dá graça aos humildes” (Tiago 4:6). Irmãs, humilhem-se e não se submetam novamente ao jugo da escravidão (Gálatas 5:1). Confessem os pecados! Arrependam-se! O Pai de vocês é fiel para perdoar os pecados e purificar seus corações (1 João 1:9).

Jesus responde o seu choro de solidão com o seu conforto perfeito.

Jesus responde o seu sentimento de vergonha com o seu testemunho perfeito.

Jesus responde o seu desejo de companhia com a sua perfeita comunhão.

Jesus responde o seu desejo pelo último prazer com suas promessas perfeitas.

Irmã, confesse seu pecado e abrace Cristo em vez disso.

Empenho da equipe

As pessoas não mudam devido ao poder das estatísticas ou sobre o que ouvem sobre os efeitos devastadores da pornografia. As pessoas mudam através do poder transformador do evangelho. As pessoas mudam submetendo-se à verdade da Palavra de Deus em vez do apetite voraz da carne.

E as pessoas mudam com a ajuda uns dos outros (1 Tessalonicenses 5:14).

A pornografia é um problema espiritual enraizado no engano da idolatria, e, como toda idolatria, precisamos uns dos outros na batalha. Um crente que luta com a pornografia precisa de outros crentes para ajudá-lo a matar o pecado pelo poder da Palavra de Deus (Efésios 5: 18-21; Colossenses 3:16).

Seguindo o texto sobre a tentação em 1 Coríntios 10:12-13, Paulo escreve no versículo 14: “Portanto, meus amados, fujam da idolatria.” Todos precisamos de ajuda. Nenhum de nós está acima da tentação que a pornografia fornece.

Pastores, a pornografia é um problema humano.

Mulheres que lutam com a pornografia, saem das sombras para Jesus.

Igreja, levante-se e ajude suas irmãs.

 

 

Autora: Rebekah Hannah

Tradução: Leonardo Dâmaso

Fonte: The Gospel Coaliton

Divulgação: Reformados 21

 

 

Reformados 21. Todos os direitos reservados. Você está autorizado a compartilhar os artigos deste site para republicações, desde que informe o autor, tradutor (quando houver) e as fontes principais e intermediárias, inclusive o Reformados 21. Não é permitido a alteração do conteúdo original e a utilização para fins comerciais.

 

Leonardo Dâmaso
Leonardo Dâmaso

Mineiro, de Divinópolis. Criador e editor-chefe do Reformados 21. Servo de Cristo, músico, compositor, teólogo, escritor, apologista, tradutor e blogueiro. Faço parte da JET – Junta de Educação Teológica do IRSE – Instituto Reformado Santo Evangelho.