Mulheres e Homens Cristãos Podem ser Amigos?

Share

A questão é um barril de pólvora. Aqueles que respondem imediatamente “sim” podem arremessar tantos barris de evidência anedótica como aqueles que gritam “não”. Poucos tratam isso como uma questão legítima – as opiniões são dadas num tom que implica que a própria questão viola o senso comum. São dadas respostas diferentes. Diferentes passagens são citadas. Diferentes colinas são construídas e desfeitas. Então, as mulheres e os homens cristãos podem ser amigos?

Para começar, vários tipos de amizade homem-mulher merecem atenção única.

Uma mulher solteira e um homem casado;

Uma mulher casada e um homem solteiro;

Uma mulher casada e um homem casado;

Uma mulher solteira e um homem solteiro.

Como são essas amizades? Elas deveriam existir? Deus as proíbe, ou são elas vitais para o corpo de Cristo? Elas são obviamente inapropriadas ou inegavelmente essenciais na comunidade religiosa saudável? Parece-me, depois de considerar a evidência bíblica, que as amizades entre homens e mulheres se inclinam ainda mais a um processo que existe em todas as amizades:

Ponderação sobre os riscos da relação;

Implementação de limites necessários e amorosos na relação;

Colheita dos benefícios únicos que exaltam a Cristo na relação.

Normalmente, passamos por esse processo inconscientemente com cada nova relação: avaliando se a relação será prejudicial a nós mesmos ou desobediente a Deus; e se não for, identificando parâmetros saudáveis ​​para tornar a relação tão frutífera quanto possível e, finalmente, desfrutando os benefícios contínuos do relacionamento.

Ao fazermos a pergunta: “Mulheres e homens podem ser amigos?”, Devemos compreender que cada nova possibilidade de amizade entre uma mulher e um homem pode exigir um “não” ou um “sim” em várias circunstâncias ou em vários estágios da vida.

Riscos Inevitáveis

Uma vez que qualquer amizade piedosa entre homens e mulheres será a amizade entre dois discípulos de Cristo, o primeiro passo para construir essa amizade é “fazer as contas dos gastos, para ver se tem o suficiente para completá-la” (Lucas 14:28). Informação o suficiente. Auto-controle o suficiente. Comunhão o suficiente. Sabedoria o suficiente.

As amizades entre homens e mulheres podem levar a sentimentos não recíprocos.

Uma pessoa tem intenções completamente inocentes e amigáveis, e a outra se apaixona. Entre uma pessoa casada e qualquer pessoa que não seja seu cônjuge, a amizade deve terminar imediatamente.

Mas, mesmo entre pessoas solteiras, os perigos são significativos. A amizade homem-mulher sempre traz a possibilidade de estranheza, de conflito, de mágoa. Alguém está pensando: “Isto está levando a algum lugar?” E a outra não está. Isso é chamado de “friendzone”, e é muito fácil para as placas tectônicas do desejo criarem amizades quentes e que despertam o desejo nas quais esse calor é, de fato, causado por motivações que se movem em direções opostas.

Quer sejamos os desejantes ou os desejados, sejamos honestos com nós mesmos: ambos realmente queremos a mesma coisa dessa amizade? Se não nos fizermos essa pergunta, alguém acabará arcando com as graves consequências.

As amizades entre homens e mulheres podem provocar a tentação sexual

Se nós cegamente caminharmos pelas amizades entre homem e mulher com a noção ingênua de que elas não são diferentes de amizades entre pessoas do mesmo sexo, estamos cega e perigosamente equivocados. Elas são diferentes. Tendências trágicas e dolorosas na igreja sugerem que aventuras amorosas muitas vezes começam sutilmente ou mesmo inocentemente, e terminam em terrível destruição. Padrões de intimidade um a um entre membros do sexo oposto cultivam naturalmente o tipo de intimidade que leva ao romance.

Salomão escreve: “Um homem perverso… tem no coração o propósito de enganar, continuamente semeando discórdia; Então a desgraça se abaterá repentinamente sobre ele; de um golpe será destruído, irremediavelmente” (Provérbios 6:12, 14-15).

Esta é a atitude errada: “Não estamos sendo imprudentes. Não há nada com o que se preocupar. Não é assim.” A calamidade da fornicação quase sempre ocorre de repente. Sempre nos surpreende. Sempre aparece na nossa porta com um sorriso inocente. Ou talvez nos leve à porta de outra pessoa. Ao sofá de alguém.

A fagulha da imoralidade sexual pode ter a diferença de uma polegada, de um olhar. A questão que devemos nos perguntar honesta e consistentemente é: “A estrutura de nosso relacionamento parece ser a de um incêndio florestal?” Se a sua atitude em relação à sua intimidade é descuidada, é provável que ela se incendeie.

As amizades entre homens e mulheres podem comprometer o casamento

É comum que as pessoas solteiras sejam demonizadas como “sedutoras” ou como “iscas”, enquanto as pessoas casadas são apenas vítimas de amantes devoradores. No entanto, parece que a tentação muitas vezes anda do lado contrário, da pessoa casada para a solteira; por exemplo, José e a esposa de Potifar (Gênesis 39:11-18), ou pelo menos ambígua, no caso do membro da igreja e a esposa do seu pai (1 Coríntios 5:1).

O ponto não é condenar ou idolatrar qualquer estado civil como mais protegido que o outro. O ponto é reconhecer o elemento humano comum que torna possível a subversão da aliança matrimonial se uma (ou ambas) pessoas estiverem casadas. Algumas perguntas diagnósticas são:

Estamos passando tempo sozinhos juntos?

Os nossos encontros (especialmente locais) são cada vez mais privados?

Estamos nos queixando de nossos casamentos (ou vida amorosa) um para o outro?

Estamos enviando mensagens um para o outro em particular?

Eu me encontro pensando nela (nele), ou fantasiando sobre uma vida com ela (ele)?

Sinto que estou me esquivando de uma intimidade que sob outro ponto de vista seria inapropriada?


Recompensas Potenciais

Uma vez considerados e ponderados os riscos de uma amizade entre homens e mulheres, podemos fazer a seguinte pergunta: “Esses riscos podem ser mitigados?” A humildade, a honestidade, a comunidade e a responsabilidade podem nos proteger das consequências iminentes e nos permitir desfrutar o bem que pode vir dessas amizades?

Deus recompensa os limites apropriados

Todo relacionamento – e todo nível de intimidade – floresce com o tipo certo de limites. E o tipo de relacionamento determina quais limites ele precisa para florescer. “O caminho da vida conduz para cima quem é sensato, para que ele não desça à sepultura” (Provérbios 15:24). Então, qual é o caminho adequado para as amizades entre mulheres e homens?

A resposta é, naturalmente, diferente para cada tipo de relacionamento. Mas o ponto é limites devem existir. Alguns exemplos seriam:

Sem mensagens de texto privadas (inclua sempre o cônjuge, ou algum amigo piedoso);

Sem encontros privados ou secretos, a (as) pessoa(s) sempre sabe (m);

Nenhuma discussão detalhada sobre casamentos ou vidas amorosas;

A sabedoria exige alguns “nãos”, a fim de manter a segurança e a integridade que levam à vida, e não o descuido ou a liberdade que levam ao pecado.


Deus recompensa a comunicação clara

Imaginemos o lado oposto, o pecado prospera na preguiça da ambiguidade. Sejamos honestos sobre nossas próprias intenções: por que somos realmente compelidos a construir e investir nesta amizade? É porque nós gostamos da atenção que recebemos do amigo a qual não podemos obter de um cônjuge ou de um futuro cônjuge? É porque ficamos sutilmente excitados ao flertar com os limites de algo que parece ter passado dos limites?

Deus recompensa uma resposta ponderada que reflete honestamente o estado de nossos corações. E precisamos ter cuidado, no contexto de uma comunidade rigorosa, a provar se não estamos nos enganando sobre nossas próprias intenções.

Uma vez que tenhamos sido honestos sobre nossas próprias intenções, precisamos articulá-las claramente. Somos amigos por causa da igreja, por causa de um projeto, por uma questão de desfrutar de um hobby mútuo, para servir a igreja? Tenhamos uma resposta e deixemos que as interações que se desviam do propósito acordado permaneçam fora de cogitação.

Deus recompensa a comunidade forte

É fácil para a igreja se dividir em ministérios de homens, ministérios de mulheres e ministérios de casais. Os solteiros tornam-se “carta branca”, e muitas vezes jogam fora o que poderia ter sido um sistema simples de pureza. Mas as amizades entre homens e mulheres na igreja são uma santa expressão da intimidade que Deus nos conquistou em Cristo (Gálatas 3:28), especialmente quando atraímos outros para essas amizades como salvaguardas.

Todo o esforço que colocamos tanto nos limites quanto na clareza honra e promove este dom – um dom que não deveria ser proibido, em princípio, entre o povo de Deus. Mas essas amizades só devem ser permitidas dentro do adequado “campo de visão” de pessoas informadas e envolvidas o suficiente para proteger as duas partes.

Por que Não Podemos Ser Amigos?

Tudo é permitido, mas nem tudo convém” (1 Coríntios 10:23). O que é bom para alguns não vale a pena para todos – e pode ser prejudicial. O que pode ser uma bela e santa amizade entre um homem e uma mulher em um caso pode não ser correspondente para todos os homens e mulheres, e certamente não pode ser tido como verdade absoluta a todo homem e mulher. Agir assim simplesmente não seria sábio nem seguro.

Mas quando os riscos forem pesados ​​e as estruturas gratificantes forem estabelecidas, podemos, com uma consciência limpa, vir diante de Deus e pedir-lhe para abençoar nossas amizades com o sexo oposto. Esta confiança é obtida através de um registro maduro e piedoso: “Não se deixem enganar; de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também ceifará” (Gálatas 6: 7). Mas está disponível. E é linda. E como tudo que é belo requer um paciente investimento, humildade generosa, abnegação implacável, autoconsciência e autocontrole.

Paulo nos encoraja: “Comportemo-nos com decência, como quem age à luz do dia, não em orgias e bebedeiras, não em imoralidade sexual e depravação, não em desavença e inveja” (Romanos 13:13). É interessante como Paulo contrapõe a “imoralidade sexual” com “comportar-se com decência, como quem age à luz do dia”. Quando nossas mensagens não são privadas, nossos encontros não são às escondidas, nossa intimidade não está coberta de sorrisos tortos, podemos participar de uma intimidade pura em amizades entre homem e mulher que é pública e louvável, cheia de graça e verdade.

Ama o teu próximo como a ti mesmo: Eu sou o Senhor” (Levítico 19:18). Nenhuma ordenança farisaica sobre as relações homem-mulher deve inibir esse mandamento. Nem um libertário livre para fazer o que quer deve sutilmente subvertê-lo. Deus se deleita em amizades entre homens e mulheres, mas somente quando dizem algo verdadeiro e bom sobre Ele ao mundo (João 13:35). Homens e mulheres, sejamos diligentes na sabedoria, implacavelmente acima do opróbrio, e sejamos amigos em Cristo.

 

 

Autor: Paul Maxwell

Fonte: desiringGod

Tradução: Moacir Campos

Via: PNO – Perguntar não Ofende

Leonardo Dâmaso
Leonardo Dâmaso

Mineiro, de Divinópolis. Criador e editor-chefe do Reformados 21. Servo de Cristo, músico, compositor, teólogo, escritor, apologista, tradutor e blogueiro. Faço parte da JET – Junta de Educação Teológica do IRSE – Instituto Reformado Santo Evangelho.