As Marcas da Imaturidade Espiritual e Como Continuar Amadurecendo

Share

O egoísmo é um sinal revelador de imaturidade. Os bebês são completamente egocêntricos. Eles gritam se não conseguem o que querem e quando querem. Tudo o que eles conhecem são suas próprias necessidades e desejos. Eles nunca dizem obrigado por nada. Eles não podem ajudar os outros; eles não podem dar nada. Eles apenas podem receber.

E, certamente, não há nada de errado com isso quando ocorre no estágio natural da infância. Mas, perceber uma criança, cujo desenvolvimento está preso para que nunca ultrapasse esse estágio de egoísmo indefeso, é uma tragédia.

E esse é exatamente o estado espiritual de muitos na igreja de hoje. Eles estão absolutamente preocupados com o eu. Eles querem seus próprios problemas resolvidos e seu próprio conforto elevado. O desenvolvimento espiritual deles está preso, e eles permanecem em um estado perpétuo de incapacidade egoísta. Isso é a evidência de uma trágica anormalidade.

Uma infância presa, por sua vez, resulta em falta de discernimento. Assim como um bebê rasteja junto ao chão, colocando tudo o que encontra na boca, os bebês espirituais não sabem o que é bom para eles e o que não é. A imaturidade e o fracasso em discernir vão juntos; eles virtualmente são a mesma coisa.

A tendência a estagnar em um estado de imaturidade também existia nos tempos do Novo Testamento. Paulo admoestou os cristãos repetidamente para crescer espiritualmente. Em Efésios 4:14-15, ele escreveu:

… para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro. Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo. (ênfase adicionada).

Como nós crescemos espiritualmente? “Falando a verdade em amor um ao outro”. Nós crescemos sob a verdade. É a mesma verdade pela qual somos santificados, conformados à imagem de Cristo, feitos espiritualmente maduros (João 17:17,19). Ao absorvermos a verdade da Palavra de Deus, crescemos e somos edificados. Podemos dizer, com exatidão, que o processo de crescimento espiritual é um processo de treinamento para o discernimento.

Hebreus 5:12 – 6:1 sublinha tudo isso:

Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres, atendendo ao tempo decorrido, tendes, novamente, necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus; assim, vos tornastes como necessitados de leite e não de alimento sólido. Por isso, pondo de parte os princípios elementares da doutrina de Cristo, deixemo-nos levar para o que é perfeito, não lançando, de novo, a base do arrependimento de obras mortas e da fé em Deus

O escritor de Hebreus estava dizendo aos seus leitores: “Vocês são bebês”! “Vocês já tem tempo o suficiente para serem mestres! Em vez disso, eu tenho que alimentá-los com leite. Eu tenho que continuar dando coisas elementares para vocês. Vocês não podem se alimentar com comida sólida. Vocês não estão acostumados com as coisas ricas da Palavra – e isso é trágico”.

Observe que, no versículo 14, ele diz que o discernimento e a maturidade andam de mãos dadas:

Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal.

Conhecer e entender a Palavra da justiça, e comer alimento sólido, exercita nossos sentidos para discernir o bem e o mal.

A palavra faculdades, nesse versículo, não é uma referência aos sentimentos, emoções ou outros mecanismos sensoriais subjetivos. O escritor desta epístola incentiva explicitamente seus leitores a exercitar suas mentes. Aqueles que, “pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir por causa da prática têm seus sentidos treinados para discernir“, são os sensatos, os inteligentes, pessoas que crescem no alimento sólido da Palavra de Deus. Como vimos desde o início, o discernimento resulta de uma mente cuidadosamente disciplinada. O discernimento não é uma questão de sentimentos nem é um dom místico. Observe que desde a literatura de sabedoria do Antigo Testamento o quão estreitamente o discernimento está ligado a uma mente experiente, desenvolvida e biblicamente informada:

Salmo 119:66: Ensina-me bom juízo (ou discernimento) e conhecimento, pois creio nos teus mandamentos.

Provérbios 2:2-5: … para fazeres atento à sabedoria o teu ouvido e para inclinares o coração ao entendimento, e, se clamares por inteligência, e por entendimento alçares a voz, se buscares a sabedoria como a prata e como a tesouros escondidos a procurares, então, entenderás o temor do SENHOR e acharás o conhecimento de Deus.

Provérbios 10:13: Nos lábios do prudente, se acha sabedoria, mas a vara é para as costas do falto de senso.

Provérbios 16:21: O sábio de coração é chamado prudente, e a doçura no falar aumenta o saber.

O caminho para o discernimento é o caminho da maturidade espiritual. E o único meio para a maturidade espiritual é o domínio da Palavra de Deus.

A maioria das pessoas discerne sobre coisas importantes para eles. As pessoas que consideram como crucial uma dieta saudável observam cuidadosamente o que comem. Elas leem as letras pequenas da embalagem para ver quantas gramas de gordura tem e qual a porcentagem dos nutrientes diários necessários.

As pessoas que trabalham com pesticidas ou produtos químicos perigosos devem ter muito discernimento. Elas estudam os procedimentos e as precauções com muito cuidado para evitar qualquer exposição potencialmente letal.

As pessoas que fazem investimentos no mercado de ações geralmente exercem o discernimento. Elas estudam as listas enigmáticas no jornal no mercado de ações e observam a fita adesiva.

Os advogados são extremamente discernidos com os contratos. Eles têm que figurar a linguagem jurídica e se certificar de que eles entendem o que estão assinando.

As pessoas que passam por cirurgias delicadas geralmente são bastante discernidas. Elas tentam encontrar o médico com as melhores habilidades – ou pelo menos verificar se ele tem uma vasta experiência em qualquer procedimento que esteja fazendo.

Conheço muitas pessoas que são demasiadamente sagazes e entusiastas de esportes. Eles assistem a um jogo de futebol e podem avaliar qualquer erro, qualquer defesa, qualquer jogo. Por muitas vezes elas sentem que são mais perspicazes do que qualquer pessoa que esteja no jogo real. Eles estudam estatísticas e médias e levam tudo muito a sério.

Você percebeu que essas são essencialmente as mesmas habilidades necessárias no discernimento espiritual? Pensamento cuidadoso, forte interesse, análise meticulosa, observação profunda – juntamente com vigilância, atenção, ponderação e, acima de tudo, amor à verdade. Todos nós temos essas habilidades até certo ponto, e as usamos em qualquer campo de esforço que seja importante para nós.

Entretanto, o que poderia ser mais importante do que o discernimento espiritual?

Não há uma explicação válida do por que os cristãos hodiernos sejam tão desprovidos de discernimento. Contudo, isso revela uma apatia espiritual que é um infortúnio mortal.

A igreja pode recuperar a capacidade de discernir? Somente crescendo espiritualmente. Isso significa confrontar o espírito de uma era relativista e aplicar-se diligentemente à infalível Palavra de Deus. Não podemos obter discernimento durante a noite ou através de uma experiência mística. Compreender o problema não é a resposta. O discernimento virá somente quando treinarmos nossas mentes para entender a verdade da Palavra de Deus e aprender a aplicar essa verdade com habilidade em nossas vidas.

 

 

Autor: John MacArthur

Tradução: Leonardo Dâmaso

Fonte: Grace to You

Divulgação: Reformados 21

 

 

Reformados 21. Todos os direitos reservados. Você está autorizado a compartilhar os artigos deste site para republicações, desde que informe o autor, tradutor (quando houver) e as fontes principais e intermediárias, inclusive o Reformados 21. Não é permitido a alteração do conteúdo original e a utilização para fins comerciais.

Leonardo Dâmaso
Leonardo Dâmaso

Mineiro, de Divinópolis. Criador e editor-chefe do Reformados 21. Servo de Cristo, músico, compositor, teólogo, escritor, apologista, tradutor e blogueiro. Faço parte da JET – Junta de Educação Teológica do IRSE – Instituto Reformado Santo Evangelho.