A Lei Moral

Share

As leis morais de Deus são aquelas leis que são baseadas na natureza de Deus. O próprio Deus é o padrão absoluto de justiça. Visto que as leis morais refletem sua natureza e caráter, elas são “imutáveis e irrevogáveis, mesmo pelo próprio Deus”. Visto que a natureza moral de Deus não muda e não pode mudar (Êx 3:14; Is 41:4; Hb 1:11, 12), as leis que são baseadas nessa natureza são absolutas. Elas são perfeitas, universalmente obrigatórias e eternas. Qualquer ideia que a lei moral de Deus é arbitrária ou baseada em algo fora de si mesmo é antibíblica. Sabemos que a lei moral de Deus é baseada em seu caráter moral, pois os atributos de Deus são aplicados a essa lei. A Bíblia diz que Deus é perfeito (Dt 32:4; Mt 5:48). Ela declara que “a lei do SENHOR é perfeita” (Sl 19:7). Jesus disse que “ninguém há bom senão um, que é Deus” (Mc 10:18). Paulo disse, “sabemos que a lei é boa” (Rm 7:12). As Escrituras ensinam que Deus “é santo” (Ap 7:12). Paulo declara em Romanos que “a lei é santa” (Rm 7:12). “A lei é espiritual” (Rm 7:14), e como tal é procedente do Espírito de Deus (Jo 4:24), e traz as marcas de seu caráter. Porque o Senhor é justo (Sl 116:5, 129:5; 145:17; Ed 9:15; Jr 12:1; Lm 1:18; Dn 9:7, 14), ele instrui os pecadores no caminho e ama as obras justas (Sl 11:7; 25:8). Outros atributos de Deus que são aplicados à lei são justiça (Sl 25:8-10; Pv 28:4-5; Zc 7:9-12), verdade (Sl 25:10; 119:142, 151; Ap 15:3), fidelidade (Sl 93:5; 111:7; 119:86) e pureza (Sl 119:140)”. Visto que a lei moral de Deus é baseada em seus atributos imutáveis perfeitos, qualquer ideia de que ela era para Israel, somente, ou para uma dispensação anterior, é antibíblica.

A lei moral de Deus é resumida nos Dez Mandamentos (o Decálogo). O número dez na Escritura indica plenitude ou completude. Assim, os Dez Mandamentos representam o padrão ético inteiro dado à humanidade por toda a Bíblia. A antiga prática Presbiteriana e Puritana de categorizar as várias estipulações éticas e as leis sob diferentes mandamentos como expressões de cada mandamento é de fato bíblica. Em Êxodo 32:15, somos informados que as tábuas de pedra foram escritas nos dois lados. Embora Deus não tenha dado uma revelação completa ao homem, ao dar os dez mandamentos e escrever nos dois lados das tábuas, ele deixou muito claro ao seu povo que nada era para ser adicionado pelo homem à sua lei moral. Como um sumário representando o todo, os Dez Mandamentos são perfeitos e completos.

Não sabemos porque os Dez Mandamentos foram escritos sobre duas tábuas de pedra. Os antigos comentaristas criam que a primeira tábua apresentava o dever do homem para com Deus, enquanto a segunda prescrevia o dever do homem para com outros homens. Porque descobertas recentes com respeito aos antigos pactos-leis médio-orientais têm revelado que duas cópias da lei-códigos eram feitas, uma para o rei e outra para o povo, alguns comentaristas modernos creem que cada tábua continha uma cópia completa dos Dez Mandamentos. Êxodo 32:16 registra que as tábuas e a escrita sobre as mesmas foram obra de Deus. A Bíblia diz que elas foram escritas pelo dedo de Deus (Êx 31:18). Deus enfatizou o fato que ele é o fundamento e o autor da lei moral. O fato que Deus escreveu a lei com seu próprio dedo na pedra ensina que a lei é perpétua e pretende instilar em nós quão seriamente Deus toma sua lei. “Isso era provavelmente uma indicação simbólica que a lei nunca poderia ser exterminada, que a lei moral é eternamente válida.”

 

 

Autor: Brian Schwertley

Trecho extraído de God’s Law For Modern Man.

Via: Monergismo

Leonardo Dâmaso
Leonardo Dâmaso
Mineiro, de Divinópolis. Criador e editor-chefe do Reformados 21. Servo de Cristo, músico, compositor, teólogo, escritor, apologista, tradutor e blogueiro. Faço parte da JET - Junta de Educação Teológica do IRSE - Instituto Reformado Santo Evangelho.