Por que as línguas são bastante populares?

Share

Cristãos de todas as denominações continuam a falar em línguas e outras pessoas buscam diariamente essa experiência. Mestres e escritores carismáticos afirmam que ela é a obra do Espírito Santo, uma nova explosão de poder que sobreveio à igreja nos últimos dias.

Como explicar isso? As línguas faladas hoje não são bíblicas. Quem fala em línguas não exerce o dom descrito na Bíblia. Por que, então, tantas pessoas desejam essa prática com fervor? Por que procuram convencer e intimidar outros a começarem a fazer essa mesma coisa? A razão fundamental é a fome espiritual. Ouve-se dizer que as línguas são o caminho para uma maravilhosa experiência espiritual. As pessoas temem que, se não falarem em línguas, perderão algo. Elas desejam “algo mais”.

Além disso, muitas pessoas sentem necessidade de se expressarem espiritualmente. Frequentam a igreja há muitos anos, mas não têm sido envolvidas, nem reconhecidas como espirituais ou santas. E, por ouvirem falar que quem fala em línguas é considerado santo e espiritual, elas experimentam o falar em línguas.

Outro motivo básico para o crescimento do falar em línguas é a necessidade de aceitação e segurança. As pessoas precisam estar “no grupo”. Elas desejam estar entre os que “têm o dom” e encolhem- se ante o pensamento de que estar entre os que “não o têm”, entre os que estão fora e olham para os que estão dentro. Para algumas pessoas, estar no movimento carismático é algo que traz satisfação. Ser capaz de dizer: “Sou carismático” é um tipo de realização pessoal. Isso faz muitas pessoas se sentirem importantes, pertencentes a algo, como se possuíssem alguma coisa que os outros não têm.

Outra explicação é que o movimento carismático é uma reação à sociedade secularizada, mecanizada, acadêmica, fria e indiferente em que vivemos. Aqueles que falam em línguas sentem-se em contato direto com o sobrenatural. Eis algo tangível que podem experimentar. Isso não é algo frio nem acadêmico. Parece real!

Provavelmente, a principal razão por que o falar em línguas tem explodido em nosso cenário com tanto vigor é a necessidade de uma alternativa ao cristianismo frio e sem vida que permeia muitas igrejas. As pessoas que se unem ao movimento carismático são frequentemente aquelas que estão à procura de ação, agitação, calor e amor; desejam crer que Deus realmente atua na vida delas — aqui e agora. A ortodoxia morta não satisfaz. Essa é razão por que muitas pessoas buscam satisfação no movimento carismático.

Podemos agradecer a Deus por carismáticos e pentecostais que creem na Palavra de Deus. Podemos ser gratos por que eles creem na Bíblia e afirmam-na como detentora de autoridade, embora nos preocupemos com o conceito que eles têm a respeito de revelação. Podemos também louvar a Deus pelo fato de que eles creem na divindade de Jesus Cristo, em sua morte sacrificial, em sua ressurreição física, na salvação pela fé (e não pela obras) e na necessidade de viverem em obediência a Cristo, enquanto amam com fervor seus companheiros e proclamam a fé com zelo.

Alguém pode perguntar: “Por que criticá-los?” Nós o fazemos porque é bíblico nos preocuparmos com que nossos irmãos estejam andando na verdade. Embora isso não pareça amoroso a algumas pessoas, a Bíblia é clara: devemos “falar a verdade em amor” (Ef 4.15). O amor verdadeiro age com base na verdade.

 

 

Para uma análise detalhada sobre as Línguas, confira o ensaio O DOM DE LÍNGUAS, dividido em em 4 partes.

 

 

Autor: John MacArthur

Trecho extraído do livro Caos Carismático, pág 325-326. Editora: Fiel

Leonardo Dâmaso
Leonardo Dâmaso
Mineiro, de Divinópolis. Criador e editor-chefe do Reformados 21. Servo de Cristo, músico, compositor, teólogo, escritor, apologista, tradutor e bloqueiro. Faço parte da JET - Junta de Educação Teológica do IRSE - Instituto Reformado Santo Evangelho.