Contextualização e a Corrupção da Igreja

Share

Deve ficar claro que o moderno comerciante da igreja não pode olhar para o apóstolo Paulo esperando encontrar a aprovação de sua metodologia ou alegá-lo como o pai de sua filosofia. Embora ele tenha ministrado aos pagãos mais vis de toda a Roma, Paulo nunca adaptou a igreja ao gosto da sociedade secular. Ele não pensou em alterar a mensagem ou a natureza da igreja. Cada uma das igrejas que ele fundou tinha a sua própria personalidade e muitos problemas. No entanto, o ensinamento de Paulo, sua estratégia, e sobretudo sua mensagem, permaneceram o mesmo durante todo o seu ministério. Suas estratégias ministeriais sempre consistiam em pregar diretamente a verdade bíblica.

Em contraste, a “contextualização” do evangelho atualmente tem infectado a igreja com o espírito da época. Ela tem aberto as portas da igreja para o mundanismo, para a superficialidade e, em alguns casos, para uma atmosfera partidarista estúpida. O mundo agora estabelece a agenda da igreja.

Isso é demonstrado claramente em um livro de James Davison Hunter, professor de sociologia na Universidade da Virginia. Hunter entrevistou estudantes em universidades e seminários evangélicos, e concluiu que o cristianismo evangélico mudou dramaticamente nas últimas três décadas. Ele descobriu que os jovens evangélicos tornaram-se significativamente mais tolerantes com as atividades outrora vistas como mundana ou imoral, incluindo o fumo, o uso de drogas, assistir filmes com classificação restrita e sexo antes do casamento. Hunter escreveu:

O limite simbólico que previamente definia o pudor moral para o protestantismo conservador perdeu uma medida de clareza. Muitas das distinções que separam a conduta cristã da “conduta mundana” foram desafiadas, se não completamente minadas. Ainda que as palavras mundanas e o mundanismo tenham, dentro de uma geração, perdido a maior parte de seu significado tradicional, contudo, o significado tradicional do mundanismo, de fato, perdeu sua relevância para a próxima geração de evangélicos. (Hunter, Evangelismo: a próxima geração, pág 63)

O que Hunter observou entre os estudantes evangélicos é um reflexo do que aconteceu a toda igreja evangélica. Muitos cristãos professos parecem se importar muito mais sobre a opinião do mundo do que acerca de Deus. A igreja está tão absorta na tentativa de agradar os não cristãos que muitos se esqueceram de que primeiro o seu dever é agradar a Deus (2Co 5.9). A igreja tem sido tão contextualizada que se corrompeu pelo mundo.

 

 

Autor: John MacArthur

Fonte: Grace to You

Tradução: Leonardo Dâmaso

Divulgação: Reformados 21

 

 

Reformados 21. Todos os direitos reservados. Você está autorizado a compartilhar os artigos deste site para republicações, desde que informe o autor, tradutor (quando houver) e as fontes principais e intermediárias, inclusive o Reformados 21. Não é permitido a alteração do conteúdo original e a utilização para fins comerciais.

Reformados 21
Reformados 21
Site de Teologia e Apologética, cujo intuito é evangelizar, discipular, ensinar, combater as heresias e defender a fé cristã.