Como planejar uma série de pregações?

Share

Um e-mail apareceu em minha caixa de entrada outro dia com uma pergunta extremamente relevante: “Sou totalmente novo no jogo da pregação semanal, e amaria ouvir como você planeja seus calendários anuais de sermões e a estrutura de cada livro que você ensina…”. Ele era um plantador de igrejas que agora está se tornando um pastor consciente. Aqui está um pouco do que eu disse a ele.

Lembre-se que o alvo de cada culto não é meramente pregar, mas entregar uma pregação pastoral. Isso significa que a Palavra de Deus não é meramente exposta, mas entregue a uma congregação específica num tempo específico. Algumas maneiras de descobrir a hora certa de uma série particular incluem:

Orar. Esta não é meramente uma  etapa supérflua obrigatória de ação oferecida e dispensada para que possamos chegar logo ao que interessa nas questões importantes de liderança e logística. Selecionar uma série de sermões é, primeiramente, uma tarefa santa na qual nós envolvemos o Salvador para nos ajudar a discernir o que melhor servirá ao povo dele. Impressões subjetivas não são definitivas, nem malignas. Você está pedindo ajuda porque você precisa de respostas. Ore por uma direção específica e preste atenção a como você se sentirá guiado depois do pedido.

Uma vez que os presbíteros são responsáveis por exercitar o pastoreio na igreja (1Pedro 5:2), entreviste-os para ouvir a sensação deles a respeito do que as ovelhas precisam agora. Considere sessões de aconselhamento recentes e conversas particulares com os membros para o que eles possam revelar a respeito de quais áreas da igreja precisam de atenção.

Considere o ritmo dos Antigo e Novo Testamentos para se certificar que você está pregando “todo o desígnio de Deus” (Atos 20:27).

Considere a “espessura” teológica dos livros nos quais você está pregando. Pregação pela totalidade de Romanos, seguida da exploração de cada capítulo de Ezequiel, pode não servir à sua congregação da forma mais eficaz. Pode ajudar o girar entre livros que são mais teológicos e livros que são mais narrativos ou “práticos”.

Considere como Deus tem falado a você pessoalmente através da sua própria comunhão com ele. Como um pastor, parte do seu trabalho é dispensar às pessoas, através da pregação, o que Deus tem derramado em você.

Considere o nível de maturidade da congregação. Eles estão acostumados com pregação expositiva? Se não, fazer uma série expositiva em um livro longo, como Lucas, pode não ser sábio para impulsionar a igreja. Levar as pessoas a uma fome por pregação expositiva algumas vezes começa com pequenas mordidas.

Ao pregar uma série específica, explique à congregação o propósito por trás da série. Você está pregando em Romanos porque você quer crescimento na compreensão do Evangelho. Você está pregando nos Salmos porque você quer aprender a comunhão com Deus através dos altos e baixos da vida. Suas explicações serão provavelmente mais robustas, mas meu ponto é que saber o coração por trás da série pode ajudar a congregação a receber a série.

Quando você estiver determinando a duração de uma série de ensino, eu encorajaria você a perguntar:

Depois de algumas leituras neste livro da Bíblia, como tudo parece se agrupar naturalmente para mim?

Como os tradutores da sua Bíblia fragmentam cada seção do livro que você quer expor?

Como outros pregadores que você respeita (vivos ou mortos) dividem o livro quando pregaram sobre ele?

Como os melhores e mais teologicamente fundamentados comentários estruturam a divisão do livro?

Uma vez que você perguntou a respeito da sabedoria de ir mais longe e mais profundamente em seções mais curtas, deixe-me encorajá-lo a considerar:

O gênero do livro. Geralmente, narrativas podem ser concluídas em pedaços maiores do que epístolas.

Seu povo. O seu amigo pode ficar impressionado pela sua habilidade de demorar 3 anos pregando por todo o livro de Filemom, mas o objetivo é o culto, e não o direito de se gabar. Que andamento serve ao seu povo agora? Lembre-se, você está procurando servir ao povo da sua igreja. Cuide para que você não fique muito preso em minúcias de uma passagem (tempos gregos, pano de fundo histórico, etc.), a ponto de você perder o ponto principal do texto.

Seu nível de capacidade. Se você é como Piper em sua pregação (e por falar nisso, isso não pode ser uma auto avaliação… precisa vir de outros!), fique à vontade para gastar dois anos para pregar em Romanos. O resto de nós, mortais, precisam considerar nossas habilidades e mirar em alvos mais razoáveis.

Ah, e se você é um pregador mais novo, procure identificar uma proposição ou um ponto principal para cada sermão. Isso vai ajudar a orientar a sua mente no sentido de identificar o coração de uma passagem e cristalizá-la em uma frase. Isso treina a mente a pensar mais claramente.

Eu também encorajaria você a conseguir um feedback regular das mensagens que você prega. Se possível, peça a dois ou três pastores experientes e maduros para ouvir os seus sermões e lhe dar um feedback honesto e sem rodeios. Você é claro? Você está pregando por muito tempo (você é um pregador de 30 minutos tentando pregar por 50 minutos?)? Você está aplicando eficazmente a passagem da Escritura às lutas da vida real? Perguntas como essas podem ajudar você a se tornar um pregador mais efetivo. A verdade é: você não vai crescer na pregação sem um feedback honesto dos outros.

Numa discussão como essa, deve-se perceber que esta é uma área na qual temos liberdade e flexibilidade. A Bíblia não soletra um plano passo a passo para uma série de sermões. Para alguns pastores, a ideia de planejar uma série comprida de pregações pode apresentar uma tentação significativa ao medo. E se eu estragar tudo? E se eu pregar a série errada? E se eu precisar mudar a série? Descanse. A Bíblia pressupõe que você vai pregar a Palavra a tempo e fora de tempo. Ela não vai mais além disso. Você pode confiar que Deus vai usar seus esforços, não importa quão frágeis sejam.

Ainda em relação a tudo isso, por favor, lembre-se: seu alvo primário é alimentar seu povo. Você não precisa fazer o que Spurgeon, Piper ou Chandler fizeram. Eles pregaram para a congregação específica deles. Você precisa pregar de tal forma que alimente os que foram colocados sob seu cuidado. Deus será agradado, a igreja será edificada, e a sua alma será profundamente satisfeita.

 

 

Autor: Dave Harvey

Fonte: Ministério Fiel

Tradução: João Pedro Cavani

Revisão: Yago Martins

Reformados 21
Reformados 21
Site de Teologia e Apologética, cujo intuito é evangelizar, discipular, ensinar, combater as heresias e defender a fé cristã.