A Origem das Variações nos Seres Humanos

Share

Todos viemos de uma única e mesma mulher como também de um único e mesmo homem.

Encontramos, no entanto, uma grande variedade de características diferentes nos seres  humanos. Alguns grupos diferenciam-se dos demais pela cor da pele, outros por algum formato específico da estrutura óssea, já outros por alguma característica facial.

Para muitas pessoas essas variações encontradas nos seres humanos não poderiam ser  compatíveis com o relato bíblico, pois, se viemos todos de um único casal, como  poderiam  existir tais diferenças? Não existe nenhuma dificuldade científica para explicarmos essa possibilidade.

Retornemos primeiramente ao conceito de tipo básico. Você se lembra de  que  o Senhor  Deus  não  precisaria  criar todas as  raças  de  cães,  por  exemplo. Ele precisaria criar apenas um casal  que  possuísse  material  genético suficiente para produzir descendentes  com  variações,  como  as  que  encontramos  hoje  nas muitas raças. Esse conceito conhecido pela ciência moderna é chamado de reserva genética.

Existem vários exemplos na natureza de reservas genéticas. O mais conhecido é o da  metamorfose da borboleta. Sua vida consiste de quatro ciclos distintos: ovo, larva  (também chamada de lagarta ou taturana), pupa (que se desenvolve dentro da crisálida ou casulo) e imago (também chamada de fase adulta).

Dentro de um pequeno ovo com menos de um milímetro de diâmetro está guardada toda a informação  genética das quatro fases pelas quais o organismo irá passar.

A fase mais  impressionante é a terceira, chamada de pupa. Nela, um  organismo  vivo  na  forma de uma lagarta praticamente se desfaz dentro de um casulo para emergir um  organismo com características totalmente diferentes, como borboleta.

Como taturana, esse organismo possui algumas características muito peculiares, como  três pares de patas na região torácica e seis pares na região abdominal. Quando ele emerge do casulo como borboleta, possui apenas seis pares de patas e quatro asas.

Como a longevidade das borboletas não é muito grande, no máximo um ano, a  transformação de taturana para borboleta ocorre rapidamente, geralmente em duas semanas. Lembre-se de que tudo isso só é possível se houver informação genética suficiente  (reserva  genética) para que cada fase de desenvolvimento e transformação possa ocorrer.

Outros organismos apresentam expressões da reserva genética que eles possuem nas  variações da cor da plumagem, no formato dos bicos, no  tamanho das patas, no  tamanho do corpo, e até mesmo na coloração da pele. Tratemos, portanto, desse último tipo, a variação da cor da pele nos seres humanos. Primeiramente, vejamos as possíveis variações da cor da pele humana.

Existem algumas escalas de classificação das diferentes cores de pele. Uma delas foi proposta pelo Dr. Thomas Fitzpatrick, em 1975. Ela baseia-se principalmente na tolerância à luz solar. Nela existem seis tipos específicos. Observe as características das cores dos cabelos e dos olhos associados às várias cores de pele:

 

Tipo – Cor da Pele            Cor dos Cabelos – Cor dos Olhos

Muito Clara (Celta)                                                     Ruivo, Castanho e Loiro – Azul, Verde e Cinza

Clara (Europeu Claro)                                                Claros ou Escuros – Azul, Verde, Castanho, Cinza e Âmbar

Clara Média (Europeu Caucasiano)                        Castanho – Azul, Verde, Castanho e Âmbar

Escura Média                                                               Castanho Escuro ou Preto – Azul, Verde, Castanho ou Preto

Escura (Marrom ou Parda)                                       Preto – Castanho ou Preto

Negra (Africano)                                                          Preto – Preto

 

Quando estudamos a cor da pele, estamos estudando variações que ocorrem nos seres humanos. Sabemos que essas variações estão associadas à recombinação do material genético.

Por exemplo, quando  um casal gera um descendente (filho ou filha), esse descendente nasce com uma parte do material genético do pai e a outra parte do material genético da mãe; temos 46 pares de cromossomos: 23  vieram do pai e 23 da mãe. E por isso que  vemos  em  nós  algumas  características  dos  nossos  pais, como o formato dos olhos, ou algumas características da face, ou o formato dos pés, etc.

Estudando as possibilidades de recombinações, podemos dizer qual seria a porcentagem de um filho ou filha nascer com olhos verdes ou  castanhos, cabelos ruivos ou loiros, e  assim por diante. Para facilitar esse tipo de estudo de recombinação do material genético, usamos letras  para mostrar as possíveis combinações. Alguns exemplos de letras usadas são Aa, ou Xx,  ou ainda Mm.

A cor da pele,  que também é resultante da recombinação do material genético do pai com o material genético da mãe, é representada por duas letras “m”. Assim, para conhecermos as possíveis variações das cores da pele, precisamos conhecer  as possíveis combinações do material genético.

Para facilitar a compreensão, vamos começar usando apenas duas letras “m” para cada um dos pais.

 

Pai                                                                           Mãe

Mm                                                                         Mm

 

Possíveis Combinações:

Tomando o M do pai e o M da mãe temos: MM

Tomando o M do pai e o m da mãe temos: Mm

Tomando o m do pai e o M da mãe temos: mM

Tomando o m do pai e o m da mãe temos: mm

 

Observe que não há diferença entre Mm e mM.

Portanto, teríamos, por meio dessas combinações, a representação de três possibilidades  distintas de cores de pele:  MM, Mm ou mM e mm.

A cor negra é exemplificada pela combinação das letras MM e a cor branca pela combinação mm. Apliquemos essa informação para determinarmos a origem das possibilidades de cores encontradas nos seres humanos.

Imagine um casal negro. O pai possui a combinação MM e a mãe MM.  Os  descendentes  nasceriam com uma das duas letras do pai, MM, e com uma das duas letras da mãe, MM. Sendo que tanto o pai quanto a mãe somente possuem MM, todos seus descendentes  seriam MM,  em outras palavras, negros. Portanto, Adão e Eva não poderiam ter sido negros. Se tivessem sido, toda a  humanidade seria  composta  apenas  de  negros, sem nenhuma outra possibilidade.

Imagine agora um  casal branco. O pai possui a combinação mm e a mãe mm. Os  descendentes  nasceriam com  uma das duas letras do pai, mm, e com uma das duas letras da mãe, mm. Sendo que, tanto o pai como a mãe, possuem somente mm, todos seus descendentes  seriam mm, em outras palavras, brancos. Portanto, Adão e Eva também não poderiam ter sido brancos.  Se tivessem sido, toda a  humanidade seria composta apenas de brancos, sem nenhuma outra possibilidade.

Qual teria sido a cor da pele deles? Primeiramente, nos exemplos dados acima, foram  usadas apenas duas letras para representar as combinações. Vamos usar o número proposto pelo Dr.  Fitzpatrick para encontrarmos a cor da pele de Adão e Eva. Nessa classificação encontramos seis variações. Portanto, o  número de letras necessárias para termos todas essas opções são:

 

Pai: MMMmmm

Mãe: MMMmmm

 

A tabela abaixo mostra as possíveis combinações:

Pai                                                                             Mãe

MMMmmm                                                               MMMmmm

 

Possíveis Combinações:

MMM+MMM

MMM+MMm

MMM+Mmm

MMM+mmm

MMm+mmm

Mmm+mmm

mmm+mmm

 

Observe que a combinação MMM+mmm é a mesma que a dos pais. (Ver Apêndice 13)

 

Portanto, se usarmos como referência as diferentes cores de pele proposta pelo Dr. Fitzpatrick, a relação seria assim:

Tipo I   muito clara           mmm+mmm

Tipo II  clara                     Mmm+mmm

Tipo III   clara média        MMm+mmm

Tipo IV   escura média     MMM+Mmm

Tipo V  escura                  MMM+MMm

Tipo VI   negra                 MMM+MMM

 

Você percebeu que está faltando uma combinação, que fica entre o tipo III e o tipo  IV,  que seria  MMM+mmm, ou seja, a combinação que representaria a cor da pele do casal  original, do qual  todas as demais variações teriam surgido? Que cor seria essa? É a cor da pele indígena, como a dos pataxós brasileiros. Essa cor específica da pele praticamente não sofre alteração quando exposta ao Sol. Ela  tem a cor do “bronzeado” natural, suavemente avermelhado.

Precisamos agora fazer uma conexão importante, que não  é tão aparente, mas é real. A  Bíblia nos diz que Adão, (adam), foi  formado do pó da terra, literalmente, do pó do solo, rranx (adamah). As duas palavras adam  e adamah vem da mesma palavra hebraica que já vimos: (adem), cujo significado é avermelhado. Não é difícil perceber que Adão teria a mesma cor do solo do qual ele foi formado. (Ver Apêndice 14)

Que cor seria essa? O solo é composto basicamente por argila, limo (ou  silte) e areia, sua cor depende muito do tipo e da quantidade dos elementos e compostos químicos encontrados nesses três materiais. Um  tipo de camada  muito  comum  encontrado  no  subsolo das  massas  continentais  é o saprolito. Nos afloramentos sua cor avermelhada é  bem evidente, devido os compostos ferrosos – hematita, Fe2 03.10,11

Esse tipo de solo possui todas as pequenas variações de cores encontradas na pele que  teria tido o formato MMMmmm, ou seja, a cor da pele de Adão e Eva. Baseado na genética que conhecemos hoje, somente um casal que tivesse a cor do solo poderia ter produzido descendentes com todas as variações de tonalidades de peles encontradas hoje. (Ver Apêndice 15)

Esses estudos dos detalhes apresentados no relato bíblico da criação do ser humano  revelam não somente aspectos fundamentais da nossa origem como também responde a  perguntas sobre os aspectos intrigantes da variedade que encontramos hoje, entre nós mesmos.

Diante  disso, somos levados a dizer como o salmista: Como são  preciosos  para  mim  os  teus  pensamentos,  ó  Deus!  Como  é grande  a  soma  deles!  Se  eu  os  contasse  seriam  mais  do  que  os grãos de areia… (Sl 139.17-18a)

 

NOTAS:

  1. Vernon J. Hurst, Visual Estimation of Iron in Saprolite, Geological Society of America Bulletin; February 1977; v. 88; no. 2; p. 174-176.
  2. A hemoglobina encontrada em células vermelhas é rica em ferro, sendo ela a responsável pelo transporte de oxigênio no sangue.

 

Autor: Adauto Lourenço

Trecho extraído do livro Gênesis 1 e 2, pág 202-209

 

Reformados 21
Reformados 21
Site de Teologia e Apologética, cujo intuito é evangelizar, discipular, ensinar, combater as heresias e defender a fé cristã.