Temor a Deus: a base de uma vida feliz

Share

Texto base: Sl 111.10/112.1-10

 

INTRODUÇÃO

O salmo 112 é a segunda parte do Salmo 111. “Esse salmo começa onde o anterior terminou e une ambos”.1 “O salmo 111 louva a Deus por sua obra e caráter, e o Salmo 112 o completa por reconhecer a obra e o caráter do homem piedoso”.2 O salmo 111 termina fomentando o temor do Senhor (vs.10), abrindo caminho para o Salmo 112, onde este tema é enfatizado com maior primazia.

Tanto o Salmo 111 quanto o Salmo 112 são acrósticos, isto é, são Salmos poéticos e se complementam em termos de conteúdo. “O salmo 112 é semelhante ao Salmo 1. Como estes são salmos de sabedoria, ambos descrevem o prazer da justiça, em contraste com os sofrimentos dos ímpios (Sl 1.4-6/112.10)”.3

Enquanto o salmo 111 focaliza a glória de Deus e as suas obras, o salmo 112 descreve o homem justo que aprendeu o que significa temer a Deus, que é o resultado da obediência aos preceitos divinos na vida prática. Destarte, o Salmo 112 pode ser dividido em seis partes:

1) Um chamado para louvar a Deus (vs.1a)

2) As bênçãos de Deus a quem o teme na vida individual (vs.1b)

3) As bênçãos de Deus a quem o teme na vida familiar (vs.2-3a)

4) As bênçãos de Deus a quem o teme na vida social (vs.4a)

5) O caráter moral de quem teme a Deus (vs.4b, 5-6)

6) O resultado de quem teme a Deus na adversidade e a recompensa do ímpio (vs.7-8, 9c, 10)

 

ARGUMENTAÇÃO

  1. Um chamado para louvar a Deus (vs.1a)

A expressão aleluia, no hebraico ללוה (halal), significa “louvar, gloriar-se”. Na maior parte das ocorrências, a palavra significa louvar, e está associada com o ministério dos levitas que louvavam a Deus pela manhã e à noite (1Cr 23.30). Toda criação, no entanto, é chamada para participar deste louvor (Sl 148), e vários instrumentos eram usados para incrementar o louvor a Deus (Sl 150). A palavra aleluia, portanto, é um chamado para louvar o Senhor.4

Todavia, vemos que o Senhor deve ser louvado por todas as pessoas, mas especialmente pelo seu povo, os cristãos. Este louvor deve ser ultra circunstancial, ou seja, independente da situação em que estivermos vivendo, quer seja boa ou má, devemos louvar ao Senhor por tudo que Ele tem feito por nós, por sua graça e misericórdia se renovarem a cada manhã a pessoas que estão muito aquém do que ele requer de nós. Ademais, este louvor a Deus deve ser sincero e motivado por uma vida piedosa.

  1. As bênçãos de Deus a quem o teme na vida individual (112.1)

2.1 Uma vida mais que feliz (vs.1b)

Temer a Deus não é ter medo de Deus; antes, é tributar grande respeito ou reverência a Ele. É reconhecer a sua soberania, grandeza e entender que somos dependentes do Senhor, que Ele está no controle de tudo, e que vamos dar contas de todos os nossos atos ao justo juiz no último dia (Rm 14.12).

O substantivo bem aventurado ברוך (eser), “é um termo que significa “ser mais que feliz”, embora muitas vezes inclua felicidade. Aquele que é bem aventurado é o objeto do favor e da graça especial de Deus”.5

Esta felicidade, todavia, não advém dos prazeres que possamos vir a desfrutar neste mundo, nem, tampouco, é alcançada pelo dinheiro, pelo casamento, pelos amigos, entre outras coisas. A verdadeira felicidade consiste numa felicidade espiritual que somente o Espírito Santo pode nos proporcionar.

É uma felicidade interna em Deus e inexplicável, pois está além das situações. Mesmo quando somos perseguidos de alguma forma, mesmo quando padecemos de enfermidades, e mesmo quando somos privados de tantas coisas, ainda assim somos felizes em Deus. Nada pode tirar esta felicidade do cristão. Ela não é produzida pelo mundo, pelas circunstâncias, mas pelo Espírito Santo que habita em nós.

2.2 Uma vida prazerosa (vs.1c)

O termo se compraz חפץ (chafets), denota “ter deleite em alguma coisa, estar inclinado a alguém, amar e desejar”. Aqui, uma pessoa abençoada e feliz considera os mandamentos de Deus prazerosos, atrativos, deleitosos, agradáveis e desejosos em guardar.6 O salmista descreve o imenso prazer que o homem temente a Deus tem em observar e guardar a sua palavra.

Salmo 119.143b – … os teus mandamentos são o meu prazer.  

Provérbios 19.23 – O temor do SENHOR conduz a vida; aquele que o tem ficará satisfeito, e mal nenhum o atingirá. (Almeida Século 21)

O vital motivo de tantos cristãos viverem tristes, frustrados na vida, com a igreja, é pelo fato de não temerem a Deus. Tudo isso é resultado de um estilo de vida que desagrada ao Senhor, a saber, uma vida em pecado, uma vida de negligências [fazer aquilo que não deve ser feito] e omissões [não fazer aquilo que deve ser feito]. Um cristão só irá desfrutar de uma vida mais que feliz e prazerosa se temer a Deus acima de tudo.

  1. As bênçãos de Deus a quem o teme na vida familiar (112.2-3)

3.1 A benção de Deus sobre a família (vs.2-3)

O texto em pauta apresenta uma promessa referente a Israel nos tempos do salmista. O judeu piedoso que temia a Deus tinha a sua família e suas gerações posteriores grandemente abençoadas como recompensa da sua fidelidade a Deus.

Essas bênçãos tinham tanto um caráter material quanto social, no que tange uma abundância de bens materiais (vs.3a), como posse de terras, grandes rebanhos, alianças e acordos de paz, bênçãos financeiras, vitórias sobre os inimigos, entre outras coisas (Êx 20.6; Lv 26.3-13; Dt 7.9, 12-26/28.1-14).

Não obstante, no Novo testamento, vemos pouca ênfase na recompensa material como resultado da obediência a palavra do Senhor em contraste com o Antigo testamento, em que a recompensa pela obediência geralmente era concedida em bens materiais. No entanto, os princípios mais amplos do salmo ainda são válidos para nós hoje, que estamos na nova aliança.

Quando tememos a Deus e vivemos aquilo que aprendemos de sua palavra, somos abençoados tanto materialmente, com o essencial para vivermos comodamente (Mt 6.31-33), quanto espiritualmente. Indubitavelmente, as riquezas do justo são espirituais, e não materiais. Entre essas riquezas espirituais, temos os dons do Espírito, paz, segurança, promessas, livramentos, providência e a principal riqueza: a vida eterna em Cristo Jesus.

Quando o cristão teme a Deus, a sua casa ou família [marido, esposa, filhos, netos] terá pela sua vida moral exemplar o modelo para acolitar suas vidas nos caminhos de Deus e, talvez, sejam transformadas pelo Senhor, se assim for de sua vontade. E mesmo depois de sua morte, esse cristão será lembrado pela sua família e pelas demais pessoas por sua justiça e integridade perante Deus e os homens (vs.3b).

  1. A bênção de Deus a quem o teme na vida social (112.4a)

4.1 Providência nas dificuldades (vs.4a)

Deus, geralmente, não nos livra de situações adversas, mas nas situações adversas. Deus não livrou os amigos de Daniel da fornalha, mas na fornalha (Dn 3.20-26). Deus não livrou Daniel da cova, mas na cova (Dn 6). Deus provê o escape para nós em meio à tribulação. O Senhor não vai deixar o cristão que o teme sempre em dificuldades, desempregado, com problemas financeiros, familiares, doente, etc. Em meio às situações de trevas, Deus fará surgir a luz, que representa a benção do Senhor, a vitória, o sucesso, o livramento, a vicissitude (mudança) de uma situação árdua para uma situação de alegria.

 Jó 42.10 –  Depois que Jó orou por seus amigos, o Senhor o tornou novamente próspero e lhe deu em dobro tudo o que tinha antes. (NVI)

  1. O caráter moral de quem teme a Deus (112.4b, 5-6, 9a)

5.1 Benigno, misericordioso e justo (vs.4b)

Essas três virtudes são primeiramente usadas no Salmo 111, na descrição que o autor faz dos atributos comunicáveis de Deus, e expressa o tratamento do Senhor aos que o reverenciam, isto é, Deus sendo piedoso, misericordioso e justo para com aquele que o teme.

Ora, no Salmo 112, esta é uma aplicação que declara que o homem temente possui essas mesmas qualidades de Deus. Ele é benigno, misericordioso e justo com os outros, uma vez que se torna cada vez mais parecido com Cristo, no que se refere a sua humanidade impecável, que devemos prosseguir em imitar constantemente.

1 Coríntios 11.1 – Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo. (Almeida Século 21)

Efésios 5.1 – Portanto, sede imitadores de Deus como filhos amados. (Almeida Século 21)

5.2 Liberal (vs.5,9a)

A expressão hebraica se compadece e empresta ונח (hanan), significa “um sinal de bondade para com alguém inferior. Na literatura de sabedoria, este verbo é usado principalmente nas relações humanas, para indicar atos de benevolência para com alguém necessitado”.7

O homem que teme a Deus é “generoso no uso dos bens que o Senhor havia lhe dado, dividindo-os com os pobres e emprestando de bom grado, sem cobrar juros, conforme a lei determinava (Ex 23.11; Lv 25.35-38; Dt 15.7, 11; 23.19-20)”.8 Quando esse vê o seu próximo em dificuldade, logo se mostra benevolente e liberal em ajudá-lo por amor a Deus e ao próximo.

Paulo cita o versículo 9 deste Salmo em 2 Coríntios 9.9  para elucidar como deve ser a motivação dos cristãos ao serem generosos em ajudar o seu próximo e a contribuir financeiramente para a obra de Deus. O homem que teme a Deus tem prazer em ajudar naquilo que ele pode dentro de suas condições, tanto o seu próximo como a igreja. Como resultado disso, o texto diz que este homem é feliz na sua vida.

Salmo 41.1a – Bem-aventurado é o que dá atenção ao pobre (Almeida Século 21)

Provérbios  11.24 – Há quem dê generosamente, e vê aumentar suas riquezas; outros retêm o que deveriam dar, e caem na pobreza. (NVI)

5.3 Honesto (vs.5b)

Esta parte final enfatiza a continuação do resultado das bênçãos de Deus sobre a vida do homem que o teme, no qual todo o salmo minudencia. A passagem termina com uma enfática declaração do salmista: Ele defenderá a sua causa em juízo.

 A ARA não traduziu adequadamente essa passagem. Sendo assim, as melhores traduções seriam a da NVI e da

NBV. Vejamos a passagem nessas traduções:

NVI: Feliz é o homem que empresta com generosidade e que com honestidade conduz os seus negócios.

NBV: Feliz aquele que empresta; e conduz os seus negócios com honestidade.

5.4 Estável (vs.6)

A pessoa que teme a Deus não é inconstante, conforme assinala Tiago 1.8. O caráter de quem teme a Deus possui estas 3 marcas fundamentais que Paulo descreve em 1 Coríntios 15.58: Firmeza, constância e abundância no Senhor.

Quem é estável não se deixa ir de um lado para o outro; não desanima, não retrocede, não se deixa permanecer abalado por circunstâncias negativas da vida. Antes, busca a superação em Deus. Quem é estável não pensa em desistir da fé e da comunhão da igreja por causa das intempéries da vida que tentam nos enfraquecer. Pelo contrário, quem é estável continua perseverante na fé, na igreja, fazendo a obra do Senhor, na presença de Deus e produzindo a cada dia mais frutos que glorificam a Deus.

 

CONCLUSÃO

6. O resultado de quem teme a Deus na adversidade e a recompensa do ímpio (vs.7, 8, 9c, 10)

O homem que teme a Deus tem a bênção divina na sua vida. Como resultado de uma vida em temor, o cristão não precisará se preocupar com as tribulações da vida, pois ele sabe que Deus é capaz de livrá-lo e verá o seu desejo cumprido com a derrota dos seus adversários (vs.7-8).

O homem que teme a Deus aqui é exaltado pelas suas boas obras que demonstram a sua fé genuína (vs.9c). Enquanto o ímpio furioso e derrotado o vê desfrutar de honra e prosperidade, o seu próprio desejo perece mediante a humilhação e a frustração (vs.10; 91.8).

Provérbios 16.6b – Pelo temor do SENHOR os homens evitam o mal.

Eclesiastes 12.13 – Agora que já se disse tudo, aqui está a conclusão: Teme a Deus e obedece aos seus mandamentos; porque este é o propósito de todo o homem. (Almeida Século 21)

 

NOTAS:

  1. Bíblia de Estudo MacArthur. Notas de Rodapé, pág 769.
  2. Allan Harman. Salmos, pág 384.
  3. Bíblia de Estudo Genebra. Notas de Rodapé, pág 776.
  4. James Strong. Dicionário do Antigo Testamento Hebraico, pág 1606.
  5. Bíblia de Estudo Genebra. Notas de Rodapé, pág 690.
  6. Bíblia de Estudo Plenitude. Palavra chave, pág 597.
  7. James Strong. Dicionário do Antigo Testamento Hebraico, pág 1646.
  8. Warren Wiersbe. Comentário Bíblico Expositivo. Poéticos, pág 150.

 

Autor: Leonardo Dâmaso

Divulgação: Reformados 21

Reformados 21
Reformados 21
Site de Teologia e Apologética, cujo intuito é evangelizar, discipular, ensinar, combater as heresias e defender a fé cristã.